Conheça a Be.cap.s: healthtech de suplementos vitamínicos personalizados



Apostando em recursos avançados como inteligência artificial e machine learning, a startup Be.Cap.s investiu R$ 3,5 milhões em plataforma digital para indicar a suplementação ideal para cada pessoa. A partir das informações coletadas e de forma personalizada, o consumidor recebe vitamínicos que suprirão a sua necessidade. A healthtech prevê colocar mais de R$ 5,5 milhões em investimentos para o crescimento da marca.

“Com a equipe de médicos nutrólogos, nutricionistas e farmacêuticos, criamos um questionário divertido e fácil de ser manejado. Por meio dele, conseguimos identificar a individualidade de cada cliente e, desta forma, indicar as vitaminas que ele necessita”, esclarece Rupen Kuyumjian, um dos fundadores da empresa.


Além de individualizados e personalizados, os planos de suplementação oferecidos pela startup são divididos em três categorias de acordo com o objetivo do cliente. Após fazer a seleção do plano mais indicado, a pessoa recebe em casa um kit para suportar a sua necessidade de vitaminas, que pode ser renovado ou substituído por outro conjunto vitamínico no próximo mês.


“Quando comparamos o nosso consumo com o dos Estados Unidos, onde mais da metade dos cidadãos faz uso de vitaminas, percebemos uma defasagem muito grande no mercado brasileiro. A ideia da Be.Cap.s veio para suprir essa demanda de maneira única, combinando saúde, a mais alta tecnologia e muita informação sobre o segmento” explica Diego Gallardo, cofundador e diretor de estratégia da healthtech


A ideia de atendimento 360º da Be.Cap.s também contempla conteúdos mensais sobre a importância da suplementação e da boa alimentação. “Além do kit de vitaminas, o consumidor receberá um folder personalizado com informações específicas sobre a sua nova rotina de suplementação e uma revista mensal com informativos, entrevistas, dicas, planos esportivos, entre outros”, ressalta.

O plano inicial da Be.Cap.s é começar com 29 fórmulas e atingir 140 até o final de janeiro de 2022. “Quanto mais compostos nós tivermos disponíveis, mais a inteligência artificial ficará precisa”, diz Kuyumjian. “Conseguiremos um nível alto de detalhe para personalizar ainda mais o tipo de comprimidos que iremos oferecer aos nossos clientes.” Para isso, a expectativa é de que sejam investidos mais R$ 5 milhões até o final deste ano. Parte da verba será dedicada ao desenvolvimento de novas posologias, enquanto outra porção ficará para marketing e divulgação.


Diego afirma que todo o investimento feito na empresa tem como objetivo proporcionar uma experiência de saúde a um custo acessível. “Queremos que a pessoa não gaste mais de R$ 340 por mês. Seria praticamente R$ 10 por dia para elevar o patamar da saúde”, afirma. “É um tíquete médio mais baixo e acessível do que se somarmos as consultas com nutrólogos e a compra de suplementos.”


Os compostos desenvolvidos pela companhia são entregues em uma caixa na casa do consumidor. Dentro dela, está a quantidade certa de comprimidos que a inteligência artificial recomendou, além de um material explicativo. O contato com os consumidores, pelo menos em um primeiro momento, será feito por telefone e e-mail, canais pelos quais a Be.Cap.s coletará informações sobre o uso e os resultados de seus compostos no dia a dia de seus clientes.